Charles Chaplin - Quem foi? Qual sua importância? 5 Frases mais marcantes

Charles Chaplin foi um ator, diretor, produtor, humorista, escritor, dançarino, roteirista, músico e empresário britânico. Nasceu no dia 16 abril 1889, em Londres, Inglaterra.

Qual sua importância?

 Charles Chaplin é o mais famoso ator da era do cinema mundo, além de ser considerado um dos maiores nomes de toda historia do cinema. Filho de artistas, Chaplin subiu aos palcos a primeira vez quando tinha apenas cinco anos de idade.

Aos 19 anos (1908), passou a trabalhar no teatro de variedades, onde fez sucesso como mímico. Dois anos depois já estava em turnê nos Estados Unidos com a trupe de Fred Karmo, quando foi descoberto por um produtor cinematográfico.

Em 1913 estreava como ator de cinema da Keystone Film Company, e em 1915, produziu a comédia ‘’O Vagabundo’’ quando criou "o vagabundo Carlitos", o seu personagem mais famoso.

No ano de 1919 ele fundou United Artists, sua própria produtora, onde produziu diversos filmes. Entre eles: The Kid (O Garoto), The Gold Rush ( Em busca do Ouro) e The Circus (O Circo).

Além disso, é o cineasta mais homenageado da história devido a sua grande contribuição para a sétima arte. Ainda em vida foi homenageado pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos Estados Unidos e condecorado pelos governos britânico e francês.

 Morreu no dia 25 de dezembro de 1977, na suíça.

5 frases marcantes de Charles Chaplin
 

1- ‘’Pensamos demasiadamente e sentimos muito pouco. Necessitamos mais de humildade que de máquinas. Mais de bondade e ternura que de inteligência. Sem isso, a vida se tornará violenta e tudo se perderá. ’’

2- ‘’Que os vossos esforços desafiem as impossibilidades, lembrai-vos de que as grandes coisas do homem foram conquistadas do que parecia impossível. ’’

 3- ‘’A humanidade não se divide em heróis e tiranos. As suas paixões, boas e más, foram-lhe dadas pela sociedade, não pela natureza. ’’

4- ‘’O assunto mais importante do mundo pode ser simplificado até ao ponto em que todos possam apreciá-lo e compreendê-lo. Isso é - ou deveria ser - a mais elevada forma de arte. ’’

5- ‘’Amo o público, mas não o admiro. Como indivíduos, sim. Mas, como multidão, não passa de um monstro sem cabeça. ’’